Entenda o que significa um vinho ser vegano

A produção de vinho é, a princípio, um processo simples: leveduras convertem os açúcares do suco de uva em álcool. Mas a diferença entre vinhos comuns e veganos está na forma como o vinho é clarificado

A clarificação é um processo de purificação do vinho, pelo qual um agente filtrante é adicionado ao barril. Esse agente é geralmente uma proteína que coagula e precipita as matérias sólidas do vinho, para serem eliminadas antes do engarrafamento - e as proteínas mais comuns nesse processo são a caseína (uma das proteínas do leite), gelatina (obtida da cartilagem do peixe) e albumina (vinda da clara do ovo). No caso dos vinhos veganos, para cumprir esse papel de agente filtrante, são utilizadas substâncias de origem mineral, como o carvão ativado e o pó de argila bentonita - utilizado para a clarificação de vinhos brancos e rosés, como é o caso do vinho Veroni. Outra alternativa é utilizar somente processos de autoclarificação natural, sem processos artificiais de filtragem, como acontece com os vinhos artesanais. Outra grande vantagem de tais métodos, é que eles não capturam os polifenóis, componentes importantes para manter os aromas do vinho. Assim, vinhos veganos como o vinho Veroni não tem perdas aromáticas e estruturais que afetam a degustação!

O crescimento desse mercado de vinhos sem aditivos químicos, veganos e orgânicos, segue uma tendência clara: a dos consumidores que estão optando por produtos menos industrializados, mais saudáveis e que transmitam um sentido de lugar e tradição. Um movimento crescente que, segundo alguns especialistas, já é um caminho sem volta; estudos da consultoria internacional IWSR estima que apenas o consumo global de vinho orgânico deve chegar a 1 bilhão de garrafas por ano até 2022. É o mercado de vinho caminhando para uma produção que cuida da saúde dos produtores, promove a vida sustentável do local e desperta todos os sentidos.

Produtos Relacionados